Em que sentido Jesus é o “deus unigênito”?

Essa é uma pergunta interessante, pois assim lemos no evangelho de João: “Nenhum homem jamais viu a Deus; o deus unigênito, que está [na posição] junto ao seio do Pai, é quem o tem explicado” (Jo.1.18).

Segundo esse texto, o deus unigênito é o que está junto ao Pai é o responsável por fazê-lo entendido. O contexto do evangelho de João parece favorecer a identificação do deus unigênito com Cristo que estava junto com o Pai no princípio (Jo.1.1b) e que o faz conhecido em sua vida terrestre (Jo.1.14; 3.13). Portanto, devemos perguntar honestamente em que sentido Jesus é o deus unigênito?

1. Definição de termos

O primeiro passo para entendermos o significado da expressão “deus unigênito” é compreender o sentido de “unigênito”. No livro Estudo Perspicaz, Vol.3 página 755 somos assim instruídos:

“A palavra grega mo‧no‧ge‧nés é definida pelos lexicógrafos como “único de sua espécie, ímpar”, ou “o único membro de uma parentela ou espécie”. (Greek-English Lexicon of the New Testament [Léxico Grego-Inglês do Novo Testamento], de Thayer, 1889, p. 417; Greek English Lexicon [Léxico Grego-Inglês], de Liddell e Scott, Oxford, 1968, p. 1144) Este termo é usado para descrever a relação tanto de filhos como de filhas com seus pais”

É importante que tenhamos aqui a clara visão do significado do termo, caso contrário corremos o risco de afirmar o que as escrituras não afirmam sobre Jesus Cristo, como fazem muitos dos que se chamam seguidores Dele. Segundo a pesquisa apresentada em seus resultados na frase acima, entendemos que o sentido do termo “unigênito” não é primeiramente “único gerado”, mas único em espécie, ímpar, singular.

O uso normal desse termo também pode apontar para um filho que é único. Veja alguns textos onde isso acontece:

“Logo depois disso, ele viajou para uma cidade chamada Naim, e seus discípulos e uma grande multidão viajavam com ele. 12 Ao se aproximar do portão da cidade, ora, eis que um morto estava sendo carregado para fora, o filho unigênito de sua mãe. Além disso, ela era viúva. Acompanhava-a também uma multidão considerável da cidade” – Lucas 7.11-12

“Mas, eis que veio um homem de nome Jairo, e este homem era um presidente da sinagoga. E ele se prostrou aos pés de Jesus e começou a suplicar-lhe que entrasse na sua casa, 42 porque tinha uma filha unigênita, de cerca de doze anos, e ela estava à morte” – Lucas 8.41.42

É importante lembrar que nesses casos o sentido não está ligado à geração, mas que são únicos no sentido de que não existem outros. Mas, ainda assim esse uso do termo não é exclusivo. Veja, porém, esse verso:

“Pela fé Abraão, quando provado, a bem dizer ofereceu Isaque, e o homem que recebera de bom grado as promessas, tentou oferecer [seu] unigênito” – Hebreus 11.17

Nesse caso, Isaque não era o único filho gerado de Abraão, pois sabemos ele também teve a Ismael com Agar, bem como diversos filhos com Quetura. (Gên 16:15; 25:1, 2; 1Cr 1:28, 32). Ou seja, o sentido do termo não é, como muitos chamados cristão entendem, como único gerado, mas como único em Espécie. Nesse caso, a ênfase recai sobre não sobre a questão numérica, como se Isaque fosse o único filho, mas no sentido de que ele é singular e especial. Aliás, é assim que vemos Jeová se referir a Abraão: “Toma, por favor, teu filho, teu único filho a quem tanto amas, Isaque, e faze uma viagem à terra de Moriá e oferece-o ali como oferta queimada num dos montes que te designarei”.

Portanto, devemos reconhecer sobre o termo, pelo menos 3 coisas:

  1. Ele pode ser entendido com o sentido de único em sua espécie, especial singular;
  2. Também pode ser entendido como o único membro de sua família;
  3. Como com o sentido de ser amado de modo especial;

Mas, em que sentido esse termo é usado em relação a Jesus no Novo Testamento? Ele é usado em duas ocasiões, quando é chamado de Filho Unigênito e de deus unigênito. Segue-se que é importante entender o que significa Filho Unigênito antes de entender o sentido do termo deus unigênito.

2. Jesus é o Filho Unigênito

Uma das expressões que se referem a Jesus Cristo como sendo “unigênito” é a expressão “Filho Unigênito”. Mas, em que sentido Jesus é o Filho Unigênito?

Sabemos por fato que Jeová tem muitos filhos, mas o que as escrituras parecem nos ensinar é que nenhum deles é como o Filho de Deus. Na verdade, sempre que as escrituras falam sobre Jesus como Filho de Deus ela usa exclusivamente o termo grego hui.ós, embora existissem outras palavras para se referir a Ele, como por exemplo a palavra grega tek.na, que é usada com freqüência para falar sobre nós (Rm.8.16-17, 21; Ef.5.1). Nesse sentido, Jesus é o Filho Especial e mais amado, como o próprio Jeová falou sobre Ele:

“Eis que também houve uma voz dos céus, que disse: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado” – Mateus 3.17

Sobre esse termo, o livro Estudo Perspicaz, Vol.3 pp.755-6 assim nos ensina:

“O apóstolo João repetidas vezes descreve o Senhor Jesus Cristo como o Filho unigênito de Deus. (Jo 1:14; 3:16, 18; 1Jo 4:9) Isto não se refere ao seu nascimento humano ou a ele como apenas o homem Jesus (…) Mas o Ló‧gos, mais tarde chamado Jesus, é o “Filho unigênito de Deus”. (Jo 3:18) [ou seja] É o único de sua espécie, o único”

Como podemos perceber, Jesus deve ser considerado como o único Filho e que nenhum filho é como Ele é: Ele é o mais amado, o mais especial. Em outra ocasião, no mesmo livro, também somos instruídos:

“Ser Jesus chamado de “Filho unigênito” (Jo 1:14; 3:16, 18; 1Jo 4:9) não significa que as outras criaturas espirituais produzidas não eram filhos de Deus, pois também são chamados filhos. (Gên 6:2, 4; Jó 1:6; 2:1; 38:4-7) (…) De modo que “a Palavra” era o “Filho unigênito” de Jeová num sentido especial, assim como Isaque era o “unigênito” de Abraão num sentido especial (seu pai já tendo outro filho, mas não por meio da sua esposa, Sara). — He 11:17; Gên 16:15.” Vol.2, pp.535

Esse sentido também é expresso pela revista A Sentinela de Dezembro de 2008, que no artigo “Aprecie o papel sem igual de Jesus no propósito de Deus,” na página 12 afirma:

“Jesus não é apenas um “filho de Deus”. Foi assim que Satanás se referiu a Jesus ao tentá-lo. (Mat. 4:3, 6) Jesus é corretamente chamado de “Filho unigênito de Deus”. (João 3:16, 18) A palavra grega traduzida “unigênito” é definida como “único de sua espécie”, “o único membro de uma parentela ou espécie”, ou “sem igual””

Portanto, estamos certos que o sentido da expressão Filho Unigênito de Deus é entendido não sobre sua concepção ou geração, mas em sua singularidade: Ninguém é como Ele é. Mas, se esse é o sentido do termo Unigênito, como entender o fato de que Jesus é deus Unigênito? Em que sentido Ele é deus unigênito?

3. Jesus: Deus Único

Se o sentido do termo, tal como apresentado acima está correto, devemos entender que Jesus é Deus como ninguém mais é, especial e singular. É bem verdade que parece ser esse o sentido, mas as publicações da Sociedade Torre da Vigia sempre preferem evitar esse fato e chamar a atenção dos seus leitores para sua agenda teológica. Por exemplo, quando ela define o termo Filho Unigênito, sempre chama a atenção dos seus leitores para o que eles consideram fatos teológicos, como a criação do Filho por Deus como primeira criatura. Ou seja, para a Sociedade Torre da Vigia o que torna Jesus único é sua posição de primeira criatura. Logo, além de cronologia e tempo de existência, nada de especial parece ser atribuído a Ele. Entretanto, nenhumas dessas considerações se encontram no entendimento do termo: Na verdade essa é mais uma das ocasiões em que a Sociedade Torre da Vigia leva seus leitores a crer na sua agenda teológica e não nas escrituras.

Como é evidente, até mesmo nas publicações da STV, o sentido do termo “unigênito” não se refere à geração, mas a singularidade. A confusão entre esses dois sentidos, nesse caso está numa antiga versão do Novo Testamento em Latim chamada Vulgata. Nela seu autor, Jerônimo (340-420) resolveu alterar o termo latino unicius para unigenetus que literalmente significa único gerado. Deve-se dizer que sua intenção era proteger a fé aos avanços da heresia ariana que dizia que Jesus havia sido criado, ao passo que Jerônimo entendia que Jesus havia sido “eternamente gerado”. Entretanto, o segundo termo não faz jus ao termo grego mo.no.ge.nes, que deveria ser traduzido, prioritariamente como único, como as antigas versões latinas faziam.

O que estou tentando demonstrar aqui é que João declara Jesus ser o único, o exclusivo Filho de Deus, com o termo Filho Unigênito.Ou seja, João pretende dizer que Jesus é o único de sua classe. Outros podem tornar-se filhos de Deus, mas a filiação de Jesus permanece distinta. Portanto, devemos entender que essa expressão, quando aplicada a Jesus indica sua singularidade; Ele é ‘o Filho’ no sentido absoluto

Ou seja, o termo mo.no.ge.nes descreve a absoluta e única relação entre Pai e Filho em sua natureza divina. Ou seja, quando João usa a expressão Deus Unigênito, essa expressão apresenta a íntima relação entre o Logos (Jesus) e o Pai (Jeová). Ou seja, Jesus sendo tão Deus quanto Deus o é (Jo.1.1), Ele é chamado de Deus singular, único, o que só pode ser possível se Eles forem de fato um (Jo.10.30). Essa conclusão é completamente fundamentada nas escrituras, e não na agenda teológica de uma instituição.

Observe que Jesus é chamado de Lo.gos (i.e. A Palavra, O Verbo) no início do capítulo do Evangelho de João. Esse Lo.gos estava desde o princípio com Deus é chamado de tão Deus quanto Deus, com o substantivo the.ós. Pouco à frente é dito que esse Lo.gos se fez carne (Jo.1.14) e habitou entre nós. Nesse mesmo verso vemos o Lo.gos ser chamado de mo.no.ge.nes sem qualquer adendo. Ele é apenas “O Único”, e João nos diz que vimos a glória do Único que vem do e pertence ao Pai. É interessante que no verso 18 João associa as duas idéias chamando a Jesus de Deus e Único, e essa expressão, a saber Deus Unigênito (Gr. the.ós mo.no.ge.nes), deve ser entendida com a aplicação de dois conceitos já apresentados no mesmo texto. Ou seja, Jesus é Deus como ninguém o é, Ele é Deus singular, tão Deus quanto o Deus Pai.

Esse é o ensino de Cristo que a Bíblia Realmente ensina.

Anúncios